Voar para a Autonomia

O primeiro passo para ajudar é partilhar! Partilha a PAJE!

O projeto “Voar para a Autonomia”, da Plataforma PAJE – Apoio a Jovens (Ex)Acolhidos – Associação, é financiado pelos EEAGrants, e promovido pelo consórcio Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação Bissaya Barreto, no âmbito do Programa Cidadãos Ativ@s.

O projeto é coordenado pela PAJE e conta com 6 parceiros: SCM Portalegre, SCM Porto, SCM Vagos, CPJ – Casa da Estrela, CAF Pinto de Carvalho e o CSP Recardães.

Objetivos do Projeto:

Os principais objetivos do projeto visam aplicar programas socioeducativos junto de jovens em acolhimento residencial:

– Sensibilizar os jovens para a importância da preparação para a vida pós-acolhimento, incrementando a sua autonomia emocional.

– Desenvolver competências necessárias para a transição para a vida adulta, fora do acolhimento.

– Potenciar uma experiência em contexto real, colocando de forma transitória os jovens num ambiente e situação análoga à de uma vida independente, fora da casa de acolhimento.

– Permitir que depois da experiência, os jovens consigam definir uma estratégia e um projeto de vida exequível a curto e a longo prazo, particularmente para quando se der a saída da casa.

– Capacitar os voluntários da entidade promotora, para a melhoria organizacional.

É um projeto definido e implementado tendo em conta princípios transversais de colaboração institucional, capacitação, comunicação e empoderamento, com o propósito de promover a autonomia no desenvolvimento de percursos socioemocionais, profissionais e pessoais de inclusão social de jovens em acolhimento residencial.

As principais atividades do projeto são:

Etapa 1 – Intervenção nas Casas de Acolhimento com jovens em pré-autonomia, sensibilizando-os para a vida pós-acolhimento, promovendo o conhecimento pessoal para diminuir o choque da transição e promovendo uma inclusão bem-sucedida como cidadãos ativos. Serão aplicados materiais psicopedagógicos específicos desenvolvidos pela PAJE, estratégias de resolução de problemas que lhes poderão ser úteis no seu dia-a-dia e o treino para a decisão.

Etapa 2 – Proporcionar a adolescentes e jovens em situação de acolhimento residencial, um dia em Coimbra, com a equipa da PAJE. Pretende-se que estes jovens experienciem um dia diferente, fora do contexto do acolhimento. Assim, ao longo de um dia, jovens de duas Casas de Acolhimento diferentes, irão participar em atividades socioeducativas, como por exemplo visitas à Universidade de Coimbra, ao Museu Machado de Castro e ao Exploratório. No decorrer do dia haverá espaço para dinâmicas de grupo, momentos de debate e partilha de experiências entre os jovens. Estas atividades conduzirão à autorreflexão e ao desenvolvimento da autoconfiança dos jovens.

Etapa 3 – Orientar jovens em acolhimento residencial que se desloquem até Coimbra e sejam colocados em ambiente e situação análogas às de uma vida autónoma, de forma a sensibilizá-los para a vida fora da Casa de Acolhimento, testando simultaneamente as suas competências de autonomização. O completo distanciamento do apoio físico e operacional da Casa de Acolhimento criará uma realidade simulada, despertando-lhes sentimentos e emoções que os alertarão e eventualmente adiem a tomada de decisão, prematura, precipitada e irreversível – a saída da Casa de Acolhimento. No final da semana, o jovem deverá ser capaz de perceber como se sente face ao seu projeto de vida, não criando ideias irrealistas, mas sim exequíveis, aproveitando a oportunidade de reversibilidade.

PARCEIROS

FINANCIADORES

Organizações envolvidas na gestão dos fundos: Conselho Executivo do Consórcio


O primeiro passo para ajudar é partilhar! Partilha a PAJE!